2004-12-31

 

Para 2005

Sei que este poema por alturas do Natal e Fim de Ano dá voltas ao Mundo em cadeia elctrónica viral. Mas continua a ser lindo...

"QUIEN MUERE?

Muere lentamente
quien se transforma en esclavo del hábito,
repitiendo todos los días los mismos trayectos,
quien no cambia de marca.
No arriesga vestir un color nuevo y no le habla a quien no conoce.
Muere lentamente
quien hace de la televisión su gurú.
Muere lentamente
quien evita una pasión,
quien prefiere el negro sobre blanco
y los puntos sobre las "íes" a un remolino de emociones,
justamente las que rescatan el brillo de los ojos,
sonrisas de los bostezos,
corazones a los tropiezos y sentimientos.
Muere lentamente
quien no voltea la mesa cuando está infeliz en el trabajo,
quien no arriesga lo cierto por lo incierto para ir detrás de un sueño,
quien no se permite por lo menos una vez en la vida,
huir de los consejos sensatos.
Muere lentamente
quien no viaja,
quien no lee,
quien no oye música,
quien no encuentra gracia en si mismo.
Muere lentamente
quien destruye su amor propio,
quien no se deja ayudar.
Muere lentamente,
quien pasa los días quejándose de su mala suerte
o de la lluvia incesante.
Muere lentamente,
quien abandona un proyecto antes de iniciarlo,
no preguntando de un asunto que desconoce o
no respondiendo cuando le indagan sobre algo que sabe.


Evitemos la muerte en suaves cuotas,
recordando siempre que estar vivo exige un esfuerzo mucho mayor
que el simple hecho de respirar.
Solamente la ardiente paciencia hará que conquistemos
una espléndida felicidad.

Pablo Neruda


 

Wave of darkness

Back in Bloomington, I can't take the horror of the earthquake/tsunami in the Indian Ocean out of my mind. Not in a celebration mood for New Year's eve...




2004-12-26

 

Switching continents

The program will resume in a few days from the cold...

Depois de 5 semanas fantásticas em Portugal, o programa segue dentro de dias. O Que me espera é a cena em baixo.



 

Mais Zen Awards

Não vou fazer um “best of” de blogs de 2004. Todos os que estão na lista de links são do peito!

Já o meu colunista favorito do ano foi o Frank Rich do New York Times.





O meu album português favorito foi o Cinemade Rodrigo Leão.



O livro que mais me fez pensar este ano foi o Natural Born Cyborgs do Andy Clark. O livro que mais me fez sair deste tempo foi o Creation de Gore Vidal.




2004-12-23

 

Pop sisters

I am a sucker for pure, unashamed pop. So I have to say that The Scissor Sisters debut is my choice for best album of 2004! In high school I met several high priests of the church of Pink Floyd, I wonder if they survived the radio this year? Dudes, see what I meant by loosening up?




2004-12-22

 

Meu bem, meu zen

O Natal é para a família e aqui estão os meus melhores momentos de Zen do ano...




Madalena




Alexandre

2004-12-20

 

Zen familar





 

O meu Zen de 2004

Não vou ser tão detalhado como o MacGuffin, mas aqui vão algumas das coisas e locais que me trouxeram alguns momentos de Zen em 2004:

Tudo em Sydney (incluindo a descoberta do Nando's).
Pousada de Viana do Castelo
The Old House em Santa Fe.
Moto em Chicago.
Henrique Leis em Almancil.
Chá no e do Marriage Frères em Paris.
Chá no e do Magnolia Caffé em Lisboa.

De livros e musica vou falando....

 

Incredibles vs. The Polar express

After taking my son to see The Incredibles and The Polar Express, I could not help thinking about how far apart the two movies are and how neatly they fit into the current Red/Blue, Urban/Non-Urban American divide. I am sure others have thought of this. The Incredibles is all about being who we are and coming to terms with our idiosyncrasies, what makes us unique and "super". The Polar Express is all about faith. Whereas the super-heroes and the villain in The Incredibles must struggle to improve how they fit in the World, the solution to getting what we want in the Polar Express is simply to believe in miracles.

The Polar express leaves us with an overwhelming sensation of keeping all things intact, as they have always been. The poor kid stays on the other side of the tracks, the train picks up and drops every kid in their specific houses, even the layout of the North Pole city implies this unavoidable, deterministic reality. Let's not change paths, just be faithful and things, material goodies, that is, will come your way...

The reality in The Incredibles, on the oher hand, is messy. People have capacities that make them unique, but they need to learn how to use them in an unpredictable World. No perfect recipe for bliss. Super-hero dads get bellies and super-hero mons get fat butts; kids get hang-ups.

Technically I enjoyed both movies. My son loved both to the fullest. But my fragile little mind has been hopelessly warped, so the rapture of presents delivered by the Polar Express did not move me at all, whereas the comic thrill of reality in work, love, and family of The Incredibles was just the Zen that I needed.

I don't need to say which one is Red and which one is Blue, do I? Don't get fooled by the uniforms.




 

Altavista Links

Aqui estão os links a partir dos quais se calculou as co-ocorrências das redes de blogs e políticos. Noto que nos casos em que os nomes têm acentos, o link directo a apartir do browser pode não dar, mas foi feito correctamente na análise.

2004-12-19

 

Alguns detalhes sobre a rede de blogs

Estive desligado durante uns dias no Alentejo, durante os quais pensei em alguns detalhes do algoritmo que utilizei para fazer as redes de blogs e políticos da semana passada. Vou também responder a algumas questões que foram entretanto postas sobre este trabalho.

Antes de mais, a formula exacta de proximidade que utilizei não foi bem a que publiquei aqui. A formula exacta foi:

dados os dois conjuntos:

B = {contra a corrente, abrupto, pastilhas, aviz, bomba inteligente, a causa foi modificada, memória inventada, barnabé , gato fedorento, ritz, blog de esquerda, causa liberal, janela indiscreta, coluna infame}

P = {Ramalho Eanes , Mário Soares , Freitas do Amaral , Cavaco e Silva , António Guterres , Durão Barroso , Jorge Sampaio , Álvaro Cunhal , Ferro Rodrigues , Paulo Portas, Santana Lopes}

a probabilidade de co-ocorrência utilizada foi

prox (ti, tj)=hits ((ti AND tj) AND (termos contextuais))/hits (ti OR tj) (1)


em que (termos contextuais) = (blog OR blogue), serve para tentar reduzir o conjunto de páginas utilizadas às que são blogs ou mencionam blogs.

Algumas razões porque isto é um estudozinho (obrigado Cibertúlia):



Num estudo mais sério usar-se-iam uma série de técnicas de busca de informação para melhorar os resultados. Usar-se-ia alguma implementação local do NEAR em vez de AND, em vez do Altavista usar-se-ia um Crawler para ir só a páginas de blogs, etc, etc.

É importante frisar que o que as redes aqui construídas mostram é o grau de associação entre blogs, no contexto do conjunto P de políticos utilizado. Apenas isso e nada mais. Não mostra por exemplo a evolução dos blogs no tempo – o que seria uma análise diferente, tipo cladística como o Jorge refere nos comentários, muito interessante.

Alguém nos comentários pergunta também qual o significado hipotético dos resultados. Isto é a pergunta tradicional dos que se opõem à chamada “data-driven science”. Estes trabalhos, a meu ver, funcionam como um mecanismo de medição sofisticado. Portanto, precede a trabalho do método científico que carece de hipóteses bem formadas. Existe hoje uma realidade digital extensa, e há que criar aparelhos para a medir.

A medição simples aqui feita dá-nos uma perspectiva relacional dos objectos e contexto em causa. Não concordo com o comentário de que estes grafos nos dão a perspectiva dos objectos vistos de longe. O que se vê é uma perspectiva de rede (relacional, associativa) que não é a obvia a partir dos links na Internet – daí eu ter disto ser isto uma perspectiva diferente. Neste caso, vemos os blogs relacionados em termos de um conjunto de políticos. Uma observação que se pode tirar desta perspectiva é que os blogs parecem agrupar-se de acordo com a proporção relativa de menções a certos políticos. Por exemplo, o grafo de correlação 0.8 mostra que os blogs 'bomba inteligente', 'causa liberal', 'contra a corrente', e 'blog de esquerda' estão ligados a páginas na web que mencionam os tais políticos em proporções muito semelhantes.

Poderiam agora fazer-se hipóteses sobre o que causa essa correlação: será um erro de medição por causa das limitações deste estudo, ou será porque estes blogs fazem parte de um mesmo debate ou discurso social e político nacional? Seria relativamente fácil responder à primeira hipótese com mais algum trabalho de busca de informação. Mas a segunda requer um trabalho de antropologia informática (social informatics) que eu não tenho competência para fazer.

No entanto, dados os resultados muito intuitivos da rede de políticos, penso que de facto estes resultados capturam também algum fenómeno social real nos blogs. Os comentários que vi foram mais sobre os blogs do que sobre os políticos, mas se notarem a rede do co-ocorrência de políticos (por exemplo a que mostra vertices com pelo menos 10% de co-ocorrência), as associações obtidas deste modo automático são bastante razoáveis na forma como reflectem a realidade.

Muito obrigado pela bomba de ouro, pela gentileza do Francisco, pela contaminação, comentário do irmão da esquerda e a falta de explicação do irmão contrário!

2004-12-16

 

Rede de Blogs e Politicos

Da mesma forma que fiz um pequeno estudo da palavra "novel" na PubMed, fiz também um estudozinho da proximidade entre alguns blogs e políticos na web. Criei dois conjuntos:

B = {contra a corrente, abrupto, pastilhas, aviz, bomba inteligente, a causa foi modificada, memória inventada, barnabé , gato fedorento, ritz, blog de esquerda, causa liberal, janela indiscreta, coluna infame}

P = {Ramalho Eanes , Mário Soares , Freitas do Amaral , Cavaco e Silva , António Guterres , Durão Barroso , Jorge Sampaio , Álvaro Cunhal , Ferro Rodrigues , Paulo Portas, Santana Lopes}

Depois calculei uma medida de proximidade que é uma probabilidade de co-ocorrência de termos (nomes) destes conjuntos em páginas web indexadas pelo Altavista:

prox (bi, pj)=hits (bi AND pj)/hits (bi OR pj) (1)


em que hits quer dizer o numero de páginas da web indexadas no Altavista em que a expressão acontece. Neste caso, a medida de proximidade é o racio entre o numero de páginas em que o blog bi co-ocorre com o político pj e o numero de páginas total em que pelo menos um destes ocorre. É assim uma probabilidade de um blog co-ocorrer com um político dado que um deles ocorreu.

A figura em baixo mostra a distribuição de proximidade de co-ocorrência de cinco blogues com o conjunto de políticos utilizado. Podemos aqui vêr, por exemplo, que quase 5% de páginas do abrupto ou que mencionam o abrupto, falam de Durão Barroso, ou que mais do 6% de páginas relacionadas com o blog de esquerda (e 3.5% do contra-a-corrente) falam de Paulo Portas...





Com estes valores de proximidade baseada em co-ocorrência, calculei também a correlação entreos vários blogues. Isto é, dois blogues são considerados muito correlacionados se a sua distribuição de proximidade no conjunto de políticos é semelhante; simplificando, quando falam na mesma proporção dos mesmos políticos.

A figura em baixo mostra o grafo de correlação para os vários blogues mostrando apenas os vertices com correlação maior que 0.7:





A figura em baixo mostra o grafo de correlação para os vários blogues mostrando apenas os vertices com correlação maior que 0.8:





Ambas as figuras mostram uma rede de associação de blogs mediante a sua proximidade (medida em co-ocorrência) ao conjunto de políticos utilizado. Acho interessante a grande correlação entre o blog de esquerda e o contra-a-corrente!

Finalmente, também calculei a proximidade de co-ocorrência entre estes políticos na web como é vista pelo Altavista (estamos a falar de milhões de páginas...).

prox (pi, pj)=hits (pi AND pj)/hits (pi OR pj) (2)


Esta proximidade (2) também pode ser vista como uma rede de associações. A figura em baixo mostra esta rede com todos os vertices superiores a 1%. Isto é, um vertice entre dois políticos existe se estes co-ocorrerem em 1% das páginas.





A figura em baixo mostra esta rede com todos os vertices superiores a 5%. Isto é, um vertice entre dois políticos existe se estes co-ocorrerem em 5% das páginas.





A figura em baixo mostra esta rede com todos os vertices superiores a 10%. Isto é, um vertice entre dois políticos existe se estes co-ocorrerem em 10% das páginas.





Talvez isto dê uma prespectiva diferente às relações entre blogs, entre políticos e entre ambos como são vistas da web!

Nota: muitos outros blogs podiam e deveriam constar deste estudozinho, talvez se eu arranjar alguem interessado a ajudar, se possa fazer algo com todos os blogs nacionais...

 

'Novel' in PubMed

The temporal analysis of the word 'Novel' in PubMed by Paulo Pereira in Conta-Natura led me to try a few things... With Andreas Rechtsteiner I performed a rough sketch of an analysis of the words that tend to co-occur with 'Novel' to see if we can think about what is causing this surge in 'novelty' in the biomedical literature....

The image below is a graph of some words with a large co-occurrence probability with 'Novel' in PubMed. Edge thickness denotes larger co-occurrence probability (proximity):






We also computed a co-occurrence probability with the years 1990 to 2004, followed by computing the correlation of the pattern of occurrence of each term for these years (see details). The figure below depicts the terms most correlated in time.







From the figure we can see that the term 'Novel' has a similar temporal pattern as that of 'gene', 'genome', 'identify', and 'proteome', the term 'New' has a similar pattern as 'protein', and the term 'report' is correlated with 'immune'.A plausible hypothesis is that whatever process is causing the increase in use of the term 'Novel' is the same process that is causing the increase in use of 'gene', 'genome' and 'proteome' -- hardly news for anyone familiar with this literature! ;-)

2004-12-09

 

According to the Kinsey report...

OK, so I want all my depressing news about Jesusland to be as good and witty as Frank Rich's "The Plot Against Sex in America". Only this way can my "Sex and the City" mind preserve its Zen in Jesusland. BTW, I now work on the same campus as Kinsey did. When I go back I'll write more about this blue dot in a red land...

 

Work that Zen!

It's a good thing I went to see Madredeus last night... According to recent research, our DNA needs a break from all the stress. I sure did. This morning I decided not to check my e-mail just to keep Madredeus' imagery of Sea, Love, Longing, and Lisbon in my heart a little bit longer. We all need a DNA repair break...

 

Um amor infinito

Ontem a minha quota de Zen transbordou completamente com os Madredeus. Que felicidade.

Devo dizer que só me rendi aos Madredeus em 1990 porque não perdoei facilmente o fim dos Heróis do Mar depois de um último album tão bom -- que deveria ser re-editado!!


2004-12-08

 

Reacionário

Então mais uma comissão que concluiu atentado em camarate. Além disso há o negócio das armas e o esquema do fundo de defesa do Ultramar. O que eu pergunto é: ao fim destes anos todos quem do grupo dos nossos ilustres governantes sabia disto e ficou calado? É difícil aceitar que os presidentes, primeiro-ministros e outros ministros desde 1980 não saibam destes cambalachos todos:

Ramalho Eanes
Mário Soares
Freitas do Amaral
Cavaco e Silva
António Guterres
Durão Barroso
Jorge Sampaio
etc. etc. etc.

E agora o governo cai, será que alguma coisa se irá apurar por via judicial ou ainda vamos brincar a uma oitava comissão de Camarate? Vamos ter o nosso Irancontra?

 

Vinil

Tenho andado a re-descobrir a minha discoteca de LPs, maxis e singles de vinil que ficou em Portugal quando fui estudar fora. Continuo no mais kitch to EuroDisco que comecei em baixo, mas hoje descobri um demais! O LP Stop Telling Lies dos Hurricane Fifi -- Ah só o Disco Francês me tira do sério...

Depois descobri todos os meus 12" da acid house do final dos anos 80 e prícipio dos anos 90. O we call it acieeeeed dos D-Mob levou-me aos meus dias de Manchester e o The Race dos Yello levou-me a noites quentes no meu querido Sudoeste no Bairro Alto de então!

Outra coisa fantástica foi ouvir outra vez o disco que mais toquei, o Lexicon of Love dos ABC em vinil!!! Que maravilha! Quem já notou as frases que rolam neste blogue (do lado esquerdo em cima) sabe que sou fã das letras do Martin Fry. Tenho que comprar a re-edição digital deluxe, mas este é sempre o grande amor!

From Date Stamp:

"Is Monsieur a connoisseur or just short-changed?
Off the rack or custom-fit it all seems the same
Look but don't touch in paradise
Don't let them catch you damaging the merchandise"


Bem, hoje à noite vou ver os Madredeus ao CCB, acabou-se o Vinil começa o New Age ;-)

2004-12-06

 

The unreasonable

MacGuffin in his comment here asked:

"What the hell is a neocon? Is it a new approach to conservatism? How can people talk about neocons if they don’t have the slightest idea about conservatism? How can you call neoconservatism to a policy that has nothing to do with conservatism? At least some signs of conservatism should have been noticed, don’t you think?"

I agree with everybody who says that neoconservatism is an undefined political position. It really is a label ascribed to a group of people (some prominent) more than to an ideology. As usual the Wikipedia offers a very nice treatment of the term.

What does it have to do with conservatism? At the very least it has to do with the culture, institutions, and practice of present day conservatism. On the pragmatics of election politics in the US, neoconservatism rides the traditionally conservative positions of rural areas. By traditional conservatism here I mean general opposition to rapid change in the political, cultural, and social realms. Indeed, a reactionary response to what is perceived as very rapid changes in urban culture (e.g. Bioscience advances such as Stem Cell Research, Gay Culture, Feminist Culture, Multiculturalism, Agnosticism, etc.)

Where neocons depart from traditional conservatism is on foreign policy and vision of government. They are very aggressive on foreign policy and have abandoned the idea of minimal government, so dear to many types of American conservatives. Unfortunately, foreign policy is one of those issues that always murks the ideological divides. I notice that a large strain of conservatism is naturally more isolationist. These are the people who think that American and Western values are not necessarily universal. Among these are early American presidents such as John Quincy Adams, but also socialist conservatives such as Gore Vidal and right-wing (paleo-) conservatives like Pat Buchanan

So, I do agree that the neocon label is just a means to refer to the people responsible for the current US foreign and fiscal policy -- who do not seem to be following a traditional form of conservatism. However, their vision of exporting American ideals as universal truths, resonates quite well with the religious, missionary rural America. Probably because missionary motivations are more revolutionary than conservative: the zeal to spread the good news, the word, the truth. Some even say that neocons are more Bolsheviks than conservatives...

In summary, it looks like neocons are geopolitical revolutionaries arising from, or at least enabled by, the reactionary zeitgeist of conservative rural America that also happens to be missionary in its nationalism. While I find all missionary approaches unreasonable, I also concede, for better or worse, what Bernard Shaw said best:

"the reasonable man adapts himself to the World. The unreasonable one persists in trying to adapt the World to himself. Therefore all progress depends on the unreasonable man"

This, of course, does not mean that all unreasonable acts lead to progress. Unfortunately, perhaps, progress also depends on a good measure of sustained competence. It was not only an unreasonable Prince Henry, in his missionary and chivalric zeal (see Peter Russell's Book), who lead the Portuguese around the World. It really took a lot of tedious, trial and error accumulation of competence.

For now, it looks like, whether we like it or not, the future of our World depends on the neocon progressives...So far I have seen more of the unreasonable than the competent. For everybody's sake, if neocons/neoprogs insist on the unreasonable path, I hope that at least they become more competent at it. Maybe then we'll get somewhere.

 

Retro Metro

Today I woke up Retro Metro (or is that the other way around?) franticly searching for my EuroDisco vaults... I know that Santa Esmeralda's Please Don't Let me be Misunderstood appearing on Kill Bill is sweet, but today I went all the way! Oh the guilty pleasure of the House of the Rising Sun!!

But I didn't stop here, oh no. Remember Sheila and the B.Devotion? Produced by Chic? Yes, there was Singin' in the Rain, but the best one was Spacer: check the video!

I'll be more serious soon. Há dias assim...

 

Before Sunrise

O Touch of Evil esta manhã lembrou-me o Before Sunsrise, que é de facto um filme muito no espírto desta casa. Por acaso não fui ver o Before Sunset, agora estou com curiosidade.... O amor bi-cultural é mais fácil por um dia; a longo prazo é mais díficil porque uma família bi-cultural tem que funcionar como elo de ligação entre duas culturas. Se a possibilidade de equívocos é grande entre duas culturas familiares, imaginem entre familias de dois continentes que só se vêm obrigadas a falar porque os excêntricos de cada fámilia resolveram continuar o encontro fortuito do comboio (no meu caso do avião)... O bonito é ver-se os filhos que são mesmo peixes dentro das duas águas :-)

Este filme lembra-me sempre a minha amiga multi-cultural Tabea Linhard, que um dia sofreu uma viagem atravéz da América comigo e com os meus primos...

2004-12-04

 

Condi Rice is angry!

Prometo que vou tentar definir, do meu ponto de vista, o que é ser um neocon e as diferenças para com os conservadores clássicos. Se bem que uma vez que considero o Gore Vidal um tipo de conservador clássico, os meus amigos contra a corrente não vão gostar....

Vou encerrar para fim de semana, mas in the meantime: just remember that Condi Rice is Angry!

2004-12-03

 

Retro vs. Metro

So, apart from cloning, it looks like John Sperling was right a few months ago when he framed the American divide as Metro/Retro in his book. What I like most about this book is the effort and money he put in collecting data.

But where do neocons fit in this Metro-Retro World? Most of them (mesmo os portugueses ;-) are in reality Metro, but certainly the neocon ascent to power is riding on Retro angst...

2004-12-02

 

Fabjects

Bruce Sterling writes on Wired about Fab Labs (Fabrication Labs), which can produce a (small, as of yet) number of physical artefacts: eyeglass frames, action figures, etc. This is truly fab technology that can potentially bring more power to the people, i.e. truly decentralize production. I can't help thinking, though, that just like with the web, I imagine that sex-related fabtoys may end up being the biggest output of Fab Labs...

 

Inside the body

No Raquel Welch, but this Baroness Susan Greenfield managed to get inside our bodies and collect mesmerizing photos in a Wonderful book. Our intestines never looked so interesting... See a slide show from the BBC.

 

Tralha


Ontem fomos ver este concerto lindo! Teria sido melhor se o alinhamento não tivesse sido composto quase exclusivamente de faixas do novo tralha... Gostava de ter ouvido algumas do Undercovers e mais do Chorinho Feliz... Mas, foi ótimo mesmo assim. Grandes músicos!




This page is powered by Blogger. Isn't yours?