2005-05-30

 

Ética Esquizofrénica

A defesa que Luciano Amaral faz à prisão de Guantamano poderia até fazer sentido se (1) aos prisioneiros fosse dado o estatuto de prisioneiro de guerra, e (2) se a prisão fosse utilizada apenas para pessoas da Al-Qaeda. Se se pode dizer que os EUA estão em guerra com uma ou mais organizações (estado-nação ou não), então os prisioneiros afiliados (i.e. belicamente activos) com essas organizações devem ser considerados prisioneiros de guerra – com tudo o que esse estatuto acarreta do ponto de vista da lei Americana e Internacional.

O grande problema desta prisão é que foi feita para estar fora da lei do país dos seus próprios criadores. Isto é, francamente, eticamente esquizofrénico. Se a existência desta prisão pudesse ser justificada, então não haveria necessidade de a meter fora da lei Americana. Os seus criadores, logo à partida, sabem muito bem que a prisão não pode ser justificada legalmente ou eticamente. Não sei porquê que pessoas como o Luciano Amaral tentam justificar o que nem os inventores desta prisão singular tentam. Além do mais, a prisão nem sequer tem valor pragmático: a inteligência acumulada parece ser muito pouco credível. Só serve para desvirtuar e desmoralizar os próprios Estados Unidos – por isso ela é tão mal vista por estas bandas.

Já agora, obrigado Rodrigo Moita de Deus por variadíssimos postes excelentes, dos quais saliento “Voto sim no referendo porque acredito que o velho conceito de estado nação ficou condenado no dia em que o Homem inventou os motores a jacto... “ .

Comments:

Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?