2005-01-12

 

Muleta tautológica

João Pereira Coutinho diz que as pessoas que fumam são mais tolerantes, mais calmas, mais interessantes.

Deve ser em algum universo paralelo...Mais calmas, é biologicamente difícil. A nicotina é um estimulante, o que aliás é um dos seus benefícios cognitivos. Como qualquer substância que leva ao vício, a satisfação da sua necessidade produz uma sensação de calma e saciação (por efeito da dopamina). Aliás, de certa forma, um vício é uma muleta tautológica. Cria-se uma necessidade apenas para a poder satisfazer, dando ao viciado o controlo fácil da sua própria sensação de satisfação.

Mas como qualquer vício cria também ansiedade por causa da necessidade permanente de procurar a satisfação. Aliás, as pessoas mais propensas ao vício têm tendência a ser ansiosas. "People with depressive-spectrum disorders, schizophrenia, and adult ADHD tend to smoke heavily". Nunca conheci um fumador calmo, ou pelo menos que não oscile bastante entre ansiedade e calma...





Quanto a serem mais tolerantes e interessantes, bem, isso são atributos demasiado subjectivos para pode comentar. Conheço fumadores muitíssimo interessantes, tolerantes e inteligentes que adoro. Conheço também fumadores burros, sem qualquer interesse na vida se não o próximo cigarro e a novela da noite, racistas, xenófobos, etc, etc. Enfim, como qualquer outro grupo de pessoas.

O cigarro não serve para classificar pessoas. O comportamento, sim. Fumar não é problema nenhum, quando mantido como um hábito pessoal ou de consenso. Em certas condições eu até gosto. Mas fumar na cara dos outros, principalmente de crianças e bébés em desenvolvimento não é nada tolerante. Então se se sabe, objectivamente, que crianças sujeitas a ambientes de fumo têm muito maior probabilidade de desenvolver uma série enorme de problemas de saúde, como Asma por exemplo, onde está a tolerância em mesmo assim se insistir em fumar em ambientes públicos? vejo aqui um comportamento egoísta e anti-social, não vejo tolerância.

Já agora, algumas das pessoas mais (subjectivamente) interessantes que conheço têm hábitos auto-destrutivos de variada natureza -- muito piores que cigarros. São hábitos que posso experimentar, mas em geral prefiro não replicar. Além disso, é mesmo muito difícil lidar com eles e elas. Tal como um cigarro, servem para nos estimular, para nos fazer oscilar entre a ansiedade e a saciação, para nos divertir. Mas são para deitar fora antes de se queimarem até ao filtro.

Addedum: Boa Filipe Alves!!

Comments:

Post a Comment



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?